Home / Destaque / Deputado Aleluia defende reforma da previdência e diz que a atual sistema é injusto; OAB e entidades se posicionam de forma contrária
Foto divulgação: Agência Brasil
Foto divulgação: Agência Brasil

Deputado Aleluia defende reforma da previdência e diz que a atual sistema é injusto; OAB e entidades se posicionam de forma contrária

O deputado federal, José Carlos Aleluia, concedeu entrevista ao apresentador Moisés Bisesti nesta quarta-feira (29). Quando questionado sobre a reforma da previdência, Aleluia se posicionou a favor e disse que a previdência brasileira é injusta. “Tem que haver justiça. Tem gente se aposentando com 50 mil reais e outros com um salário mínimo”. Confira o posicionamento do deputado:

Por outro lado, após mais de 17 horas de reunião na sede do Conselho da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Brasília, os integrantes de comissões de direito previdenciário de todo o país, juntamente com outras dezenas de entidades representativas de categorias profissionais, elaborou uma carta aberta contra a reforma da Previdência.

Representantes de juristas, médicos, auditores fiscais e engenheiros, entre outros, acreditam que a proposta do governo está fundamentada em premissas erradas e contém inúmeros abusos contra os direitos sociais. As mudanças, segundo a carta, “desfiguram o sistema da previdência social conquistado ao longo dos anos e dificulta o acesso a aposentadoria e demais benefícios à população brasileira que contribuiu durante toda a sua vida”.

As entidades listaram 10 abusos, entre eles, a exigência de idade mínima de 65 anos para aposentadoria de homens e mulheres, a necessidade de o contribuinte ter 49 anos de contribuição para ter acesso ao benefício integral, a redução do valor geral das aposentadorias e a precarização da aposentadoria do trabalhador rural e o fim da aposentadoria especial para professores. Além disso, o Conselho da OAB considera abusivas as propostas de pensão por morte e benefícios assistenciais abaixo de um salário mínimo e a cumulação da pensão com a aposentadoria.

O texto também é crítico ao aumento da idade mínima exigida para recebimento do benefício assistencial de prestação continuada, o BPC, que o governo pretende passar de 65 para 70 anos. As regras para a aposentadoria dos trabalhadores expostos a agentes insalubres foram definidas pelo conselho como “inalcançáveis”.

Sobre Redação MBQ NEWS - RB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *