quarta-feira , 23 de outubro de 2019
Novidades
Home / Notícias / Brasil / Renúncia fiscal cresce sob controle frágil, afirma TCU
Foto divulgação: Google
Foto divulgação: Google

Renúncia fiscal cresce sob controle frágil, afirma TCU

Fiscalização do TCU (Tribunal de Contas da União) constatou que 53% dos programas de benefício tributário do governo federal não contam com órgão gestor responsável, o que compromete seu monitoramento. Neste grupo estão ações como as desonerações da cesta básica, das folhas de pagamento e das exportações da produção rural. As três iniciativas significam uma perda de receita de R$ 39 bilhões anuais e, como não estão subordinadas a nenhum ministério, carecem de controle mais efetivo sobre seus resultados. “Não haverá avaliação de impacto nunca, nem saberemos se [os benefícios fiscais] estão dando certo”, aponta Leonardo Albemaz, da área técnica do TCU. Em alta, a renúncia fiscal deve chegar a R$ 283 bilhões em 2018, ou a 4% do Produto Interno Bruto, contra 3,5% em 2011. Do montante, 84% se referem a programas sem data para acabar. A tendência reflete a dificuldade para elevar as despesas. Menos transparentes, as benesses tributárias não estão sujeitas ao teto do gasto federal.

Sobre Móises Bisesti

Móises Bisesti
Apresentador do programa de rádio “Força do Povo”, MOISÉS BISESTI dirigi a equipe de jornalismo da Rádio Cruzeiro, que tem audiência em 75% dos municípios da Bahia. Formado em Economia pela UCSAL, em Direito pela Faculdade do Nordeste e em Rádio e Televisão pela Gama Filho, atua há vinte e cinco anos na área de comunicação social sempre em contato direto com o público e autoridades políticas, médicas e jurídicas. Iniciou sua carreira como repórter da TV Itapoan/ Rede Record, no Telesportes e Lance livre na área de esportes, além do Balanço Geral programa jornalístico. Na TV Band apresentou o Jogo Aberto, também na linha de jornalismo popular, trabalhando como âncora da Band News FM. Defende a liberdade das ideias, a informação da notícia centrada no fato, na busca da verdade mantendo a objetividade e independência com foco na prestação do serviço público. Com uma linguagem moderna, leve e desenvolta conquista pela clareza e objetividade nas informações sem perder de vista a ética e responsabilidade do comunicador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *